e-mail: contato@apalavradedeusedegraca.com.br

Quem é o rebelde?

QUEM É REBELDE, SIMÃO, O LEPROSO, 

 

OU CAIFÁS, O SUMO SACERDOTE?

 

O capítulo 26 do evangelho de Mateus mostra o caminho do Senhor Jesus em seus últimos dias de Seu ministério terreno. Ao finalizar o Seu ensinamento, o Senhor Jesus foi preparar-se para Seu martírio. De modo muito interessante Ele foi até a casa de Simão, o leproso, onde esteve com seus amigos de Betânia: Lázaro, Maria e Marta (João 12).

 

Naquele humilde lugar o Senhor Jesus foi ungido com o unguento que Maria derramou sobre Sua cabeça, a fim de preparar o Seu corpo para o sepultamento.

No dia seguinte o Senhor pediu para que seus discípulos preparassem a ceia da Páscoa, onde celebrou o pacto da nova aliança, de Seu sangue.


Da ceia, enquanto Judas saía para traí-Lo, Jesus dirigiu-se ao Getsêmani, no Monte das Oliveiras, para orar. Ali mesmo o Senhor Jesus foi preso e seus discípulos foram dispersos, conforme as Escrituras. Seus captores O levaram para a casa de Caifás, onde foi julgado injustamente (Mt 26:57-68).


No final daquele ato de inveja e ódio contra o Senhor da Vida, seus acusadores cuspiram Nele e o esbofetearam:

 

Vs 62: Levantou-se então o sumo sacerdote e perguntou-lhe: Nada respondes? Que é que estes depõem contra ti?


Vs 63: Jesus, porém, guardava silêncio. E o sumo sacerdote disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho do Deus.


Vs 64: Repondeu-lhe Jesus: É como disseste; contudo vos digo que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu.


Vs 65: Então o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: Blasfemou; para que precisamos ainda de testemunhas? Eis que agora acabais de ouvir a sua blasfêmia.


Vs 66: Que vos parece? Responderam eles: É réu de morte.


Vs 67: Então uns lhe cuspiram no rosto e lhe deram socos;


Vs 68: e outros o esbofetearam, dizendo: Profetiza-nos, ó Cristo, quem foi que te bateu?
Ainda naquele ambiente de trevas, o Apóstolo Pedro negou 3 vezes ao Senhor. De lá o levaram para Pôncio Pilatos, a fim de que fosse condenado e crucificado.


Assim nos fica a pergunta: quem afinal realmente era o leproso, Simão ou Caifás?

Sabemos que a lepra no Antigo Testamento é uma espécie de praga, que os rebeldes eram castigados, tal como no caso de Miriã (Nm 12:1-15) e o do rei Uzias: IICr 26:19-21.


Vs 19: Então Uzias se indignou; e tinha na mão um incensário para queimar incenso.

 

Indignando-se ele, pois, contra os sacerdotes, nasceu-lhe a lepra na testa, perante os sacerdotes, na casa de Senhor, junto ao altar do incenso.


Vs 20: Então o sumo sacerdote Azarias olhou para ele, como também todos os sacerdotes, e eis que já estava leproso na sua testa. E apressuradamente o lançaram fora, e ele mesmo se apressou a sair, porque o Senhor o ferira.


Vs 21: Assim ficou leproso o rei Uzias até o dia da sua morte; e, por ser leproso, morou numa
casa separada, pois foi excluído da casa do Senhor. E Jotão, seu filho, tinha o cargo da casa do rei, julgando o povo da terra.


O capítulo 26 de Mateus nos mostra que o verdadeiro leproso não era Simão, mas Caifás. Simão havia sido leproso, mas, certamente, foi curado pelo Senhor Jesus, porque não apenas havia uma reunião em sua casa, mas o próprio Salvador-homem esteve hospedado com ele, na mais crítica semana de Seu ministério.


Enquanto isto o Sumo-sacerdote, que figurava como o representante de Deus na terra, foi mais do que um rebelde, pois além de O ter desonrado, ainda agrediu o Senhor Jesus, o verdadeiro Ungido de Deus, que é o Apóstolo e Sumo-sacerdote de nossa confissão (Hb 3:1).

 

Portanto caros companheiros de luta, vamos para a casa de Simão, o leproso, em Betânia, para encontrarmos o Senhor Jesus, e deixemos a Caifás, líder supremo da religião do homem, o verdadeiro rebelde, que usa o templo como lugar de seu comércio (Jo 2:13-17), e emprega os seus fanáticos seguidores para espiar, perseguir e condenar a verdadeira vida.


Não sejamos covardes e coniventes com a injustica e a mentira dos religiosos, tal como a multidão que escolheu que um criminoso fosse liberado ao invés do verdadeiro Bispo de nossas almas.


Vamos confiar Naquele que nos chama para o Seu reino e glória.


Sai dela povo meu!


Vamos para Betânia!


Sl 23:

Vs 1: O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.


Vs 2: Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas.


Vs 3: Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome.


Vs 4: Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.


Vs 5: Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda.

 


Vs 6: Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.