e-mail: contato@apalavradedeusedegraca.com.br

Quem Somos Nós – Parte 2

Quem Somos Nós – Parte 2

“Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, 
firmes e nãos vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.” Gálatas 5:1

 Cristo e a Igreja é o grande mistério da Bíblia.

E grande é esse Mistério, mas eu me refiro a Cristo e a Igreja.

 

Quando o apóstolo Paulo pronunciou esse versículo, ele estava se referindo ao casamento. É necessário ao homem deixar pai e mãe, para se unir a sua esposa e ambos serão uma só carne; mas a seguir, ele explica que o que está falando é um mistério, e grande é esse mistério (Efésios 5:31, 32). 

Às vezes para dar testemunho de Cristo e a Igreja é necessário deixar pai e mãe, para se unir à vontade do Senhor. Mesmo que o nosso pai e a nossa mãe não tenham essa percepção, não devemos recuar quanto à visão de Cristo e a Igreja. Devemos deixá-los e seguir o Senhor, por causa de Cristo e a Igreja.
O Senhor Jesus amou tanto a Igreja que entregou a Sua Vida por ela. Hoje o Senhor quer nos constrange, mas Ele foi o exemplo, Ele fez exatamente isso. A Igreja, o Testemunho da Igreja, o Testemunho do Senhor é uma questão de dar a nossa Vida. Isso não é uma questão simples como muitos pensam, é uma questão de consagração. 

Quando o Senhor revelou a Igreja em Mateus 16, ele falou para Pedro: “Tu és pedra, e sobre essa Rocha, Eu edificarei a minha Igreja. E ainda disse mais: Não foi carne e sangue quem te revelou”. Não foi nenhuma carne e sangue quem revelou A Igreja a nós. Não foi nenhum irmão ou irmã quem te revelou, mas foi o Pai que está nos céus. É Ele quem revela. 

A revelação da Igreja é um assunto que vem direto de Deus. É um assunto direto com o Pai. O pai é quem revela o Filho e o Filho nos revelou a Sua Vontade que é edificar a Sua Igreja. E é sobre essa Rocha, sobre esse fundamento, o Senhor edificará a Sua Igreja, e as portas do hades, ou do inferno, não prevalecerão contra a Igreja edificada. Tem um hino que fala: “Senhor Jesus vem logo então a Igreja edificar.”
No Antigo Testamento, vemos a experiência de Samuel, ele foi consagrado por Sua mãe, mesmo antes de nascer. Ana o consagrou ao Senhor, e ao nascer, ela o entregou ao sacerdote e Samuel passou a viver e a crescer no Templo junto ao sacerdote Eli. 

1 Samuel 3,  fala que Samuel estava deitado no Templo. Por quê? Porque essa era a situação do sacerdote Eli. Esse sacerdote deitava e passava o tempo todo deitado. Samuel olhava para Eli deitado e achava que servir a Deus no Templo era viver deitado, então ele se deitava também. Ali vivia todo mundo deitado no Templo. 
Mas o próprio Deus nessa porção da Palavra diz que a Lâmpada de Deus ia se apagar. Então, antes que a Lâmpada de Deus se apagasse, Deus chamou o menino,  Samuel. Deus o chamou porque a Lâmpada de Deus é o Seu Testemunho. Então, Deus chamou o menino uma vez. Chamou duas vezes, chamou três vezes, até que ele entendesse.

O Senhor está nos chamando hoje. - “Deus um dia nos chamou e de novo vem chamar, nosso amém iremos dar, sim vencer.” - O Senhor chama e insiste nos chamando porque Ele não desiste dos Seus Planos. Ele quer preservar aceso o Seu Testemunho nesta terra.
Deus chamou a geração degradada de Adão, depois que ele desobedeceu ao Senhor, depois que foi expulso do Jardim.

Caim deu origem a uma geração que viveu fora da presença de Deus (Gênesis 4:16). Uma geração que se misturou com os anjos caídos (Gênesis 6:1,2); Deus então chamou Noé.
Depois do dilúvio, a geração de Noé chegou até a geração de Ninrode, e o homem deu as costas para Deus. O homem fez uma torre para tornar celebre o seu nome (Gênesis 11:4). Toda vez que o homem edifica uma grande torre para si, a tendência é dar as costas para Deus.

Quando falamos que a Base do Testemunho do Senhor é o Nome do Senhor, isso não é uma questão somente de invocar o Seu Nome. Mas é uma questão de fazer desaparecer todos os outros nomes que fazem sombra ao nome do Senhor, para exaltar somente o Nome.  Jesus é o Nome (Filipenses 2:9-11). Em Babel o homem resolveu tornar célebre o seu próprio nome e para isso, decidiu construir uma torre cujo topo chegasse ao céu. O próprio Senhor Deus reagiu e veio resolver pessoalmente essa questão. O Senhor os julgou, confundindo as línguas deles (Gênesis 11). E no meio daquela situação de apostasia o Senhor chamou Abraão. Graças ao Senhor.
Nós somos um pouco românticos. Se o Senhor nos chamar de novo, iremos dizer: mas Senhor, o Senhor já me chamou três vezes, você não vai parar com isso não? Ele vai te responder: não vou parar de te chamar até a minha volta. Porque você precisa saber que a Igreja é a assembléia dos chamados para fora do aprisco e pra fora da religião. Para fora do mundo sistematizado por satanás, para fora da organização. Sai disso aí!
Alguns irmãos ficaram preocupados e perguntaram: vocês vão abrir outra Igreja?  A resposta é: - não, eu não vou abrir outra Igreja eu vou sair dessa organização, desse sistema de comércios e exaltação do nome de homens. Ele não entendeu e perguntou novamente: - você vai para fora do local?  Não, eu vou para fora do sistema que me aprisionou. Eu vou sair para me consagrar a Cristo e a Igreja e nada mais. – expliquei melhor. - Jesus é o Senhor!
Ao lermos o evangelho de João, capítulo 9, vemos que nunca ninguém tinha sido expulso da sinagoga. Nem a mulher samaritana, nem a mulher adúltera, nem ninguém. Em todos esses casos, que João relatou em seu evangelho, as pessoas eram curadas e depois seguiam o Senhor. Os fariseus foram iluminados e voltaram para a religião. 

Mas havia um cego de nascença que ao ser curado, foi expulso. Isso porque ele fora curado na sua visão, ele passou a enxergar.  

O Senhor queria Se encontrar com esse homem cego que fora curado, mas o Senhor não estava mais na sinagoga, Ele estava fora dela. Então o Senhor precisou permitir uma situação para que aquele cego curado pudesse encontrar-se com o Senhor e encontrar Sua Vontade. E naqueles vários debates, num determinado momento os religiosos não agüentaram aquele cego falando no meio deles. Eles consideravam aquele cego sendo alguém todo nascido em pecado e agora os queria ensinar. Eles então o expulsaram da sinagoga. Porém os seus pais não queriam falar nada a respeito porque já tinha sido acertado que, quem falasse algo em relação ao Senhor, também seria expulso. Essa é a característica da religião. Se você vê algo além do que é permitido, você precisa ser expulso da religião. Mas o Senhor é maravilhoso. Após de João 9, lemos João 10; assim que o cego foi curado o Senhor mostra o aprisco das ovelhas; e mostrou o que Ele faz com as Suas ovelhas. Ele entra pela porta do aprisco e chama as Suas próprias ovelhas pelo nome e as conduz para fora. E elas reconhecem a Sua voz. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas O seguem, porque lhe reconhece a voz.
Esse aprisco é um aprisco diferente, ele não é um aprisco em que as ovelhas entraram voluntariamente, mas é um aprisco que foi construído em nosso derredor enquanto nós desfrutávamos, enquanto nós invocávamos o Nome do Senhor, alguém veio e construiu uma cerca em nossa volta nos tornando prisioneiros.  

Enquanto nós desfrutávamos, enquanto saíamos para as cidades, enquanto pregávamos o Evangelho, tinha homens trabalhando fazendo cerca, fazendo um aprisco em nossa volta. Isso é uma coisa muito difícil de perceber, porque de repente isso apareceu ao nosso redor.
Mas aleluia! Um dia o Senhor certamente daria o Seu grito: “Vêm para fora. Sai dela povo meu”. Quando o Senhor falou sai dela, isso não é sair da Igreja, não há como sair da Igreja. Ele nos chamou para sair do sistema religioso. O Senhor não nos chamou para odiar nossos irmãos, nem fazer contendas ou ficar nos justificando quanto às acusações de alguns, o Senhor nos chama para sair. Se você é livre nada nem ninguém lhe impedirá de sair de uma coisa que não agrada ao Senhor, se o tentarem fazer, isso já prova sua natureza. E essa natureza gera o sistema organizado, o comércio e a exaltação do nome do homem por meio da edificação de algo que se sobressaia para tornar célebres outros nomes que farão sombra ao nome do Senhor. Quem for “ovelha do Senhor” e ouvir Sua voz, entenderá muito bem isso. 

O Senhor está nos alertando, que o sistema vai cair, e Ele vem a nós, nos avisar sobre isso. Ele não quer que sejamos cúmplices com as obras religiosas do sistema (João 10: 10). Precisamos estar claros para não sermos cúmplices daquilo que desagrada ao Senhor.
Em 1 Coríntios 3: 13, fala da obra de cada um. Cada um de nós tem uma responsabilidade porque cada um de nós desenvolve sua salvação (Filipenses 2:12). E cada um de nós tem acesso as Escrituras Sagradas. 
Irmãos, a partir de agora, a Bíblia deve ser o nosso alimento diário.

Este é o grande alerta do Senhor para nós: precisamos ser vencedores, vencendo o mundo, vencendo a religião, vencendo o maligno. Por isso o Senhor veio e deu a dica para nós. Em Mateus 4 Ele falou: - “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra.” -  A nossa vitória está em toda A Palavra. Porque toda Escritura é inspirada por Deus (2 Timóteo 3:16). Como é que a igreja vai receber todos os ministérios? Ela vai receber somente se desfrutar de toda a Palavra. 

Irmãos, toda a Palavra está aberta para nós, por isso não tem como montarmos uma seita, porque não vamos eliminar versículos. Nós somos livres para desfrutar de todos os versículos.
2 Pedro 3 Diz: - “Amados, esta é, agora, a segunda Epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida, para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos, tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda?”-Tudo aquilo que foi dito pelos santos profetas, todas as palavras ditas pelo Senhor e salvador e ditas pelos apóstolos constitui o evangelho completo.
O Senhor quer nos restaurar. Ele quer que amemos a Sua Palavra, aleluia! Não é somente sair do aprisco, mas entrar pela porta que é Ele mesmo e comer dos pastos verdejantes, que é a Sua Palavra.  

No aprisco você só come aquilo que te dão. Eles te dão uma ração diária. Você recebe apenas uma porção de comida. A porção que não convém ao aprisco, não é dada, sequer mencionada. Nos pastos verdejantes você come de tudo, de toda abundância das riquezas de Cristo. De toda revelação da Palavra. Sair do aprisco é algo muito glorioso, é sair da limitação. Você entrará e sairá, pois é livre no Senhor.
No evangelho de João, no capítulo 10, o Senhor revelou para nós a condição das Suas ovelhas, mas mostrou para nós o que Ele quer. E Ele não chamou a todas, Ele chamou apenas as que lhe pertence. As que lhe pertence conhecem a Sua voz. As que pertencem ao aprisco permanecem lá. O Senhor não mandou que todas as ovelhas saíssem, Ele se pôs a porta do aprisco e chamou pelo nome as que lhe pertencem. As demais ovelhas são do aprisco. Elas já estão adequadas àquela condição de aprisco e satisfeitas em viver ali.
Essa também foi à maneira que o Senhor usou Daniel para falar com Ciro, acerca dos 70 anos de cativeiro do poder de Deus. O livro de Esdras registra que somente aqueles que foram tocados no seu espírito, saíram de Babilônia, para subir e edificar uma casa para Deus em Jerusalém. Os demais não quiseram sair, porque já existe uma satisfação, um conforto e uma convivência em Babilônia. Hoje, as vésperas da volta do Senhor, como subir de novo ao monte para edificarmos a Casa de Deus? Mas o Senhor despertou o nosso espírito. Por isso que falamos sobre aquele cego de nascença em João 9. Ele já tinha idade. Ele já podia responder por si mesmo. O Senhor despertou o nosso espírito para enxergarmos a nossa condição.

Louvado seja o Senhor por essa Palavra que nos tem dado nesses dois últimos semestres acerca do ministério de João em sua maturidade. Ela trouxe para nós um espelho que desta vez está virado para nós mesmos. É muito fácil virar o espelho para focar as denominações, ou para focar outros grupos livres; mas, desta vez o Senhor colocou esse espelho ao contrario. Desta vez ele focou a restauração do Senhor.

Quando você individualmente erra ou peca, você é disciplinado, é exposto, e você é colocado de lado, você não parte o Pão e quando uma Igreja erra ou peca. O Senhor vem com o seu aperfeiçoamento, corrige aquela Igreja, corrige a sua liderança. Mas, e quando a própria restauração erra? Ninguém pode tocá-la? A Restauração pecou e chegou sua vez de ser disciplinada, de ser corrigida, porque dessa vez quem está falando não é o homem João, mas é o próprio Senhor Jesus. Aquilo que João fala vem da parte de Deus. Vem da parte dos sete Espíritos de Deus e do Seu trono. É o próprio Deus quem está falando.
“João, o que você vê escreve e manda as sete Igrejas.” (Apocalipse 1:11) - Quem ordenou foi Deus. Só Ele pode disciplinar a Sua Restauração que se tornou um objeto e um sistema que dá até para sair dele. Se a Restauração não se tornasse um sistema, não seria possível sair. Mas a Restauração se tornou algo que dá para sairmos, tem até porta de saída. Se esse fosse o viver da Igreja, não tinha como sair, mas quando tudo se tornou uma organização, a porta se abre para quem quiser sair fora dela. O próprio Senhor nos trouxe a Sua Luz, e veio falar conosco num momento muito próximo a Sua volta. Precisamos considerar a Palavra do Senhor.

A situação atual das Igrejas que foram envelopadas num sistema, é resultado de ensinamentos que não é o ensinamento dos apóstolos. Não adianta querermos curar a Igreja, precisamos verificar qual tem sido a nossa nutrição na Igreja. A nossa nutrição precisa ser o Evangelho do Reino, que gera o testemunho do Senhor. Não adianta querer arrumar a Igreja sem nutrir-se do evangelho, sem restaurar o evangelho. O evangelho produz o Testemunho do Senhor. Se alguém tocar e mudar o evangelho, o testemunho da Igreja desaparece.
Na última conferência em Sumaré, nós falamos que o Senhor fez o homem a Sua imagem e semelhança (Gênesis 1:26), e no versículo 28, Ele comissionou o homem dizendo: -  “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra.” - Vimos o cuidado que devemos ter na hora de executar Gn 1: 28 que diz: - “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra, dominai, e subjugai” – para quando olharmos para trás devemos ainda ver que Gn 1: 26 não sumiu, ou seja: a expressão de Deus não  desapareceu, ela ainda está lá. A Imagem e semelhança é a expressão de Deus.

O homem foi feito para expressar Deus. Expressar o Seu testemunho na terra. Esse homem deve multiplicar e encher a terra como testemunho do Senhor. O homem deve encher a terra de Deus.
Ao sairmos para fazer a obra, não podemos exterminar o testemunho, mas devemos continuar sendo as “testemunhas,” tanto em Jerusalém, Judéia, Samaria e até aos confins da terra. Disse o Senhor: “Vós sereis minhas Testemunhas.” (Atos 1;8) 

O Senhor nos deu a Sua Palavra. Os apóstolos nos deram os seus ensinamentos para a edificação da Igreja, para dispensar Deus para a nossa fé, para que a nossa alma seja transformada e assim possamos expressar o Senhor para que a Igreja seja edificada.
Quando se fala sobre ensinamento, podemos ver que, quando João escreveu as sete cartas as sete Igrejas , ele estava   tratando especificamente da raiz do problema de cada uma delas. Se nós queremos ser cheios de realidade, temos também que tratar com a raiz da doença, com a raiz da enfermidade. Se apararmos apenas os galhos, e nunca tratarmos seriamente com a raiz do problema, se repetirá sempre, a mesma condição.

O apóstolo João, ao escrever as sete cartas as sete Igrejas, revelou a raiz do problema. A raiz de tudo é o ensinamento. Se a igreja tomou um caminho de desvio e de degradação, esse problema veio do ensinamento. Se o ensinamento é o ensinamento dos apóstolos, a Igreja não cairá em degradação, Ela não cairá no desvio.

O Senhor quer nos iluminar para atentarmos somente para o ensinamento dos apóstolos. Se a Base da Igreja foi alterada e foi ameaçada, isso ocorreu por causa do ensinamento diferente que foi dado as igrejas.
Ap 2: 6, diz: - “Tens, contudo a teu favor que odeias as obras dos Nicolaítas as quais também Eu odeio;” -  Ap 2: 15, diz: - “Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam o ensinamento dos nicolaítas.” - A obra dos nicolaítas se tornou o ensinamento deles. O versículo 6 diz: - “tens, contudo a teu favor que odeias as obras.” -  mas no versículo 15 diz: - “Tu tens os que da mesma forma sustentam o ensinamento dos Nicolaítas.” - Isso quer dizer que aquilo que esse grupo de pessoas ensinava e praticava, trazia  ódio ao coração de Deus. E agora, isso se tornou o ensinamento que ministravam nas Igrejas.

Quando você pratica algo inadequado individualmente, fora da Igreja, dará conta disso ao próprio Deus. Mas, quando você faz das suas obras e das suas práticas inadequadas um “ensinamento” para a Igreja, você estará comprometido no Tribunal de Cristo, porque está levando todo o rebanho, por meio de sua obra, para o buraco.
Ap 2: 14 diz: - “Tenho, todavia contra ti alguma coisa, pois tens ai os que sustentam o ensinamento de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.” - Vejam, Balaão ensinava a Balaque. Será que ele ensinava a Economia de Deus? Será que ele ensinava o Evangelho do Reino? Não, ele ensinava a armar ciladas.
Irmãos, se nós queremos ensinar na Igreja, devemos ensinar o Evangelho do Reino. Eu não acredito que alguém nesse século vai ensinar os irmãos a armar cilada, mas, existem outras coisas, sendo ensinadas ao povo de Deus, que se tornam uma cilada, uma verdadeira armadilha.
Dias atrás ouvi a pregação de um irmão na televisão falando sobre o Tabernáculo. Ele falou do Átrio Exterior, falou do Santo Lugar e falou do Santo dos Santos. Ele falou muito bem sobre esse assunto. Ele matou o animal, aspergiu o sangue, lavou-se na bacia, entrou no Santo lugar, comeu o pão, acrescentou azeite ao candelabro, foi para o Santo dos Santos, colocou incenso, abriu a arca, viu a Tábua do Testemunho, viu a Vara de Arão que floresceu, chegou à urna do Maná escondido. Nesse ponto da pregação ele falou assim: - “Esse Maná escondido é o seu dinheiro que está escondido na caderneta de poupança lá no Banco. Não adianta esconder, Deus quer esse dinheiro para Ele.” - Na avaliação que fiz da sua pregação ele estava indo muito bem com nota nove, mas  quando estava para tirar nota dez, ele caiu para nota zero, pois aplicou um ensinamento segundo seus próprios interesses. 

Se ele quer pedir dinheiro aos irmãos peça o dinheiro diretamente, mas não adultere a Palavra do Senhor para armar cilada contra os irmãos, trazendo o fermento misturado na farinha para os irmãos comerem.
Sabe por que muitos irmãos comem e se enchem de fermento? Porque o fermento já está misturado na farinha. Ele não tem como separar o fermento misturado.  Quando ele recebeu a farinha em suas mãos, pensou que estava recebendo a pura farinha, mas quando comeu, comeu o fermento e depois ficou com a barriga inchada.
Fazer isso é o mesmo que andar com astúcia. Esse pregador que cobrou dos irmãos o dinheiro da poupança, dizendo que teve uma revelação desse dinheiro, na verdade ele queria pedir dinheiro, e para isso ele usou a doutrina de Balaão que é calçar a suas palavras com o seu intento, com a sua intenção embutida. Mas Deus conhece os corações.

São três os ensinamentos que devemos impedir na Igreja: O ensinamento dos nicolaítas, o ensinamento de Balaão e o ensinamento de Jezabel.
Em  Ap 2: 20, diz: - “Tenho porem contra ti o tolerares que essa mulher Jezabel, que a si mesma se declara profetiza, não somente ensina, mas também seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos.” – Aqui, João não está falando essas palavras para  Jezabel. Ele está falando: “Tenho, porém, contra ti.” João está falando com todos os que toleram Jezabel. 
Quando lemos essa porção rapidamente, parece que João está repreendendo Jezabel. Mas, na verdade, o Senhor está repreendendo quem tolera essa mulher intolerável. Esse problema é um assunto de Jezabel, ela vai ter que acertar isso com Deus um dia. Mas, o Senhor hoje tem algo contra todo aquele que a tolera.

Quem foi iluminado, viu o que Deus quer, mas prefere tolerar Jezabel, se arrependa.  Talvez, você tolere Jezabel dizendo que faz isso por amor à unidade, mas, lembre-se, a unidade é do Espírito, e preservá-la não quer dizer sustentar aquilo que o próprio Senhor reprova, e não há como ser um com essa mulher que a si mesma se declara profetiza. 
Ap 2: 20, diz: -“Tenho, porem contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel que a si mesma se declara profetiza, não somente ensine mais ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos.” - A condenação do Senhor é contra aquilo que os nicolaítas ensinam. Contra aquilo que Balaão ensina. Contra aquilo que Jezabel ensina. O Senhor não está dizendo aqui que o nicolaíta é um determinado irmão. Nenhum irmão é nicolaíta. Balaão também não é um irmão. Não existe irmão Balaão. Jezabel não é uma irmã, mas esses três aspectos representam um grupo de pessoas que estão com a responsabilidade de ensinar na Igreja.

Esse grupo de pessoas pode ter toda perfeição social, ter boa aparência, e até ser irmãos, mas Deus condena o que eles ensinam na Sua Igreja. Deus os condena porque o que eles ensinam não é proveniente do ensinamento dos apóstolos. Esse ensinamento diferente faz com que a Igreja perca sua base, e já não seja mais o testemunho do Senhor, ela não dá mais o testemunho da Igreja, e passa a ser outra coisa, reconhecida por outros nomes, menos como a Igreja.

Quem sabe se os nicolaítas, Balaão e Jezabel eram pessoas humanamente falando, muito abençoadas, que viviam bem em família, que fossem pessoas trabalhadoras; mas a condenação de Deus não está para aquilo representam em suas vidas pessoais e sim, naquilo que eles ensinam aos irmãos.
Quando Paulo escreveu a Timóteo, disse para permanecer em Éfeso, para admoestar a certas pessoas, afim de que não ensinem outra doutrina, e nem se ocupem com fábulas e genealogias sem fim, que antes promovem discussões, do que o dispensar de Deus na fé dos irmãos. Qualquer ensinamento que entrar na igreja e gerar no meio dos irmãos uma discussão, não é a Economia de Deus. Porque a Economia de Deus não gera discussões, ela gera o serviço de Deus na fé dos irmãos. Senhor Jesus, quanta luz!

Esse assunto é para adultos. Por isso, o Senhor por meio de Paulo escreveu aos Éfesios dizendo que a Igreja é edificada sobre o fundamento dos apóstolos (Efésios 2:20). Existe um canal, uma peneira na Igreja até a Palavra chegar a mim e a você.  A Palavra vai passando do Senhor, Ela vem e é a revelação que Deus deu a Jesus Cristo, e Ele enviando pelo Seu anjo notificou ao seu servo João para que ele entregue aos Seus servos (Apocalipse 1:1). Isso é como uma peneira. O ensinamento vai passando numa peneira. A palavra passa pelos apóstolos, pelos profetas, e quando Ela chega à localidade, tem os presbíteros que são aptos para ensinar. Eles sãos os que manejam bem a Palavra da Verdade (2 Timóteo 2:15). Eles são como os “trituradores” da palavra para passá-las aos irmãos. 

Essa é a função dos presbíteros. Os presbíteros são os que conseguem ver o fermento na farinha. Então eles separam os nutrientes e dão para os irmãos comerem. Por isso, os irmãos que servem na Igreja com a Palavra de Deus, devem ser pessoas da mais alta confiança do Senhor para transmitir sem misturas Seus encargos, segundo Sua vontade para o cumprimento de Sua obra tanto em nós como na terra.

Agora, pergunto: como foi que esses três ensinamentos (Balaão, Nicolaítas e Jezabel) passaram pelos apóstolos, pelos profetas, pelos presbíteros e entraram nas Igrejas sem serem peneiradas? Não sabemos. Certamente as peneiras deles estavam furadas. Na verdade, existem coisas que não são tão gritantes e passam sorrateiramente, são aqueles fermentos mais finos e imperceptíveis. Quando Paulo escreveu o livro de 1 Coríntios, capitulo 5, havia na igreja um rapaz que cometeu fornicação com a mulher do seu pai. Naquela ocasião Paulo tinha falado sobre o fermento da maldade. Paulo disse a eles: - “lança fora o velho fermento.” - Esse fermento aqui estava relacionado com aquela situação pecaminosa de fornicação com a madrasta. O pecado é um fermento. Paulo escreveu essa carta para que os irmãos responsáveis da Igreja tratassem imediatamente essa situação (1 Coríntios 5). Mas, para as igrejas da Galácia, Paulo disse que um pouco de fermento leveda toda massa (Gálatas 5:9). Na Galácia, sabemos que o fermento que veio misturado na farinha foi colocado numa reunião de apóstolos, presbíteros e cooperadores (Atos 15). Os Gálatas receberam aquela farinha, receberam aquela direção, receberam aquela prática. Ela não veio da cabeça da dona Maria que mora ali na esquina. Aquela carta veio de uma reunião em Jerusalém entre apóstolos e presbíteros, com a presença especial do irmão de Jesus, Tiago. Aquela carta estava assinada pelo Espírito Santo porque eles disseram: - “Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós. Não vamos colocar mais fardos pesados sobre vós, mas queremos que vocês pratiquem esses quatro itens essenciais da lei. (Atos 15: 19-31)”  

Quando uma coisa é enfatizada demasiadamente na Igreja, ela se torna “essencial”, até mesmo para ser usada na propagação do evangelho; mas, mesmo quando “essa prática” não é essencial, por ela é ser enfatizada dessa maneira, obriga os irmãos a fazer algo, e eles se sentem obrigados a praticar aquilo, porque lhes fora dito por alguns, (que deveriam ser) “confiáveis” que essa prática é algo “essencial” a propagação do evangelho e a vinda do Senhor. Alguém a enfatizou, como sendo uma prática essencial, e se esse alguém for de influência na igreja, os irmãos crêem ser verdade.

Aquela carta foi o resultado de uma reunião de serviço entre os irmãos de frente, apóstolos e presbíteros, e ela foi mandada para as igrejas praticarem os quatro itens como sendo “essenciais.” Certamente, pela importância das pessoas que redigiram o seu texto, quando ela chegou às mãos dos presbíteros, eles nem vão ler e filtrar direito o conteúdo dessa carta para ver se há fermento, eles vão mandar os irmãos praticar aquilo, porque quem mandou a carta foram os que estavam à frente. 
- “Quem escreveu a carta? Foi Tiago? Há, então vamos praticar, Tiago é irmão de Jesus.” – dirão alguns entre os presbíteros.

Quando as igrejas receberam aquela carta, nela tinha farinha, mas também tinha fermento. Era pouco o fermento, mas um pouco de fermento leveda toda a massa. Por isso irmãos, é preciso orar pela Igreja. Orar pelos irmãos que ensinam na Igreja.
Certa vez eu falei com um irmão: irmão, quem tem sonho, conte o seu sonho. Quem tem a palavra, fale a palavra. Nunca, jamais misture o seu sonho com a Palavra de Deus. Se você colocar o seu sonho na palavra, você vai destruir os irmãos e a Igreja.

2 Pedro 1: 19 diz: -“Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie, e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo primeiramente isso: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca, jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.”

2 Pedro 2: 1 diz:-“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.
2 - E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade.
3 – também movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.

Vemos que em João 2:13-16, a entrada do Senhor no templo não é assim, tão pesada ao compararmos a experiência com Simão, o mágico, quando Pedro o repreendeu porque ele queria comprar o Espírito Santo, a entrada do Senhor no templo não é tão pesada. Pedro parece que aprofundou mais o assunto (Atos 8). 
Em sua carta segunda carta Pedro fala de um pecado que está no interior do homem. Pedro diz que eles movidos por avareza, farão comércio de vós. Na verdade isso quer dizer que eles vos usarão para comercializar aquilo que eles têm. Esse assunto de comércio, e esse assunto de organização, é um assunto delicado, muito sério; e é preciso sentar para resolvê-lo.

Se se tornou impossível tirar o comércio do meio da Igreja, mesmo que tal prática cause danos na consciência dos irmãos, isso mostra que a avareza já tomou conta de tudo. A Palavra de Deus, todas as vezes que toca no assunto de comércio, ela trata esse assunto de forma muito dura para com os que praticam isso no meio do povo de Deus; e quanto ao julgamento, diz que a destruição dos comerciantes é repentina. 
Que o Senhor tenha misericórdia do Seu povo e de cada um de nós. 
Nós somos os chamados para fora de tudo isso.

Essa prática de negociar se tornou um ensinamento. A partir de agora os líderes ensinam e os irmãos aprendem a vender as revelações que Deus dá para Sua Igreja. Uma prática de alguém, que agora, se tornou um ensino na Igreja, os irmãos são ensinados a fazer isso: comercializar a palavra de Deus; vender. 
Você pode ser comerciante, isso não é problema algum; a questão é se você  quiser  ensinar os irmãos  a vender o seu produto. Aquilo que você pratica profissionalmente, não deve querer ensinar para Igreja. Isso é abominável diante do Senhor. O Senhor é justo, Ele não tolera o comércio porque isso é algo cheio de injustiça e corrupção. Por isso Ele quer nos chamar de volta para Ele, nos chamar de volta para a Sua base, a base da Igreja.
Em João 17 o próprio Senhor fala: - “Eu os guardei em Seu Nome. Eu vos dei a Sua Palavra. Eu lhes tenho transmitido a Sua Glória.” - A Igreja está sobre o Nome do Senhor, sobre a Palavra do Senhor e sobre a Glória do Senhor. Se o “meu nome” ou o nome de qualquer outra coisa minha está sendo exaltado ao lado do Nome do Senhor, a glória é para mim e para o meu nome. No mínimo, eu estou dividindo o meu nome com Nome do Senhor.

Irmãos, semear alguma coisa ao lado do Nome do Senhor, ao lado da Igreja é perigoso para o nosso testemunho. Quanto mais a Igreja crescer, mais “essa coisa” crescerá também, e no final, “essa coisa” toma toda a Igreja, toma todos os nutrientes que são dos santos, toma tudo o que deveria ser para a propagação do Evangelho para poder se manter viva, isto, uma estrutura também precisa de recursos para ser mantida, e quais os recursos ela irá usar? Os recursos que devem ser aplicados na propagação do evangelho.

O sistema religioso é a semente de um câncer que quer crescer junto com a Igreja. E quando a Igreja propagar o evangelho para outras nações, esse sistema religioso que cresceu junto com a Igreja, se tornará algo multinacional. Quanto mais a Igreja crescer, mais a organização e a estrutura crescerão, por fim, esse sistema comerá a Igreja, acabará com a Igreja e com o seu testemunho.
Mas aleluia!! O Senhor nos chamou para fora.  O Senhor nos libertou. Ninguém pode comer e acabar com a nossa liberdade. Ninguém mais vai se alimentar daquilo que Deus nos deu. Nós vamos nos consagrar a Cristo e a Igreja, e assim, esse Evangelho vai avançar por toda a terra e em todo lugar.

A vida da Igreja é uma vida de pregar o Evangelho do reino. O Senhor primeiramente ensinou aos discípulos. Depois da Sua morte, Ele apareceu por quarenta dias instruindo os Seus discípulos falando das coisas concernentes ao Reino de Deus (Atos 1:3). Isso visava  equipar os discípulos e instruí-los naquilo  que deveria ser propagado a todas as noções, mas como é que eles  propagariam  esse Evangelho? O Senhor falou para eles: “Ficai na cidade até que do alto sejais revestidos de poder. (versículo 4)” -  O Equipamento mais importante na propagação do Evangelho vem do alto, não é nada aqui da terra. 
Atos 1: 8, o Senhor continua: - “E recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra.”
Temos o Evangelho do Reino, temos também o Poder do Espírito que nos dá intrepidez para pregar o Evangelho.  Atos 4: 31, diz: -“Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; e com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.

Para propagar a Palavra de Deus é necessária a intrepidez, e isso é algo que vem do Espírito. Foi assim que o Senhor preparou os discípulos para o Seu mover, para a Sua Obra, e para alcançar toda a terra. 
Logo em seguida, Pedro se levantou, pregou o evangelho e quase três mil almas foram batizadas. Agora eles tinham o evangelho, o poder do Espírito e três mil pessoas para reunir e cuidar como Igreja, mas ainda faltava uma coisa para completar: Faltava dinheiro.

Quanto ao dinheiro, o Senhor movia o coração dos irmãos. Os que possuíam terra, casas e propriedades, vendiam tudo e depositavam aos pés dos apóstolos para o evangelho ser propagado. O próprio Senhor preparou os seus itens para o Seu mover na terra. Ele não usou nada que venha do sonho dos homens. Nada que o homem tenha pensado. Somente Deus poderia mover os corações dos irmãos para vender e ofertar para a Sua Obra. O Senhor preparou os Seus itens, e também preparou as Suas ferramentas.

Em Atos, capítulo 8, os santos foram dispersos para diversos lugares, saíram pregando o Evangelho. Eles mostraram a todos nós hoje que as ferramentas de Deus para a propagação do Evangelho são os irmãos. Nós somos ferramentas na mão do Senhor. Aleluia!
Em atos 13 o Senhor chamou Paulo e Barnabé para fazer a obra do Espírito. Em atos 18, Ele levantou Áquila e Priscila. Essas são as preciosas ferramentas do mover de Deus nas mãos do Senhor.
Tudo isso aqui, você pode falar a vontade para qualquer um que não vai dar briga entre os irmãos. Você pode falar sobre essas coisas à vontade em todo lugar, que não vai poluir nem fermentar o Evangelho. Você está livre para falar do poder de Deus, para falar do Espírito Santo, para falar do Evangelho do Reino, para falar de pessoas sendo batizadas, para falar de oferta para a saída dos santos. Isso tudo não polui o Evangelho.
Mas quando você coloca um ensinamento que não tem um fundamento bíblico, o evangelho é diluído e o testemunho desaparece. Deus já nos deu tudo o que precisamos e nos deu a liberdade, nos deu o Seu precioso testemunho... E para andar na terra, Ele nos deu os itens do Mover de Deus. Jesus é o Senhor! Jesus é o Senhor!

Que o Senhor possa nos abençoar e nos guardar, para que Ele avance através de nós com pureza e com sinceridade no coração.